fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

A incrível geração mimimi (I)

6 min read
Está difícil conviver com os "mimimillennials"? Então leia esse guia e seja feliz... Ou não, dependendo do cara...

Numa galáxia muito longe da nossa, existe um planeta habitado por indivíduos muito inteligentes e cultos.

Há um grupo muito influente que conquistou quase todo o planeta. Eles são denominados: “a incrível geração mimimi”.

Essa geração acorda ao meio dia e não arruma sua cama, almoça e não lava seu prato, e quando acaba sua rotina “matinal”, finalmente se conecta ao wi-fi pago por seus pais opressores e enche as redes sociais diariamente de reclamações sobre o machismo, racismo, e a sociedade patriarcal. Ela só lê (quando se dá ao trabalho) as xerox’s da universidade indicadas por seus professores.

Se orgulham de sua intelectualidade e, quando alguém escreve nas redes sociais algo que eles não concordam, não citam livros, nem fontes confiáveis. Não precisam dessa barbaridade! Eles simplesmente respondem com toda sua inteligência e perspicácia a mesma frase de sempre: “apaga que dá tempo”.

Que sagacidade, não é mesmo?

Não precisam ler nenhum autor conservador ou liberal para criticá-los, pois lá no fundo todo mundo sabe que esses autores não sabem do que falam. Na verdade, essa geração não precisa nem mesmo ler autores que eles próprios defendem. Se a mídia diz que ele é bom, se os professores dizem que ele é bom, por que questionar?

Em falar em questionar, essa geração é a mais inteligente.

Todos pensam igual, todos dizem os mesmos clichês e as mesmas frases de efeito, mas se consideram autônomos e afirmam constantemente que pensam por si mesmos e são independentes.

Você precisa esquecer sua identidade para fazer parte dessa geração, precisa se rotular e ter uma opinião formada sobre tudo. Deve estar atento aos temas políticos do momento senão ficará de fora da roda dos doutores da política das redes sociais.

A incrível geração mimimi sempre trabalha com a lógica.

O deputado gay se fantasia e homenageia um personagem terrorista da história que mandava gays para campos de concentração e os matavam.

A mulher feminista diz que o lugar de toda mulher é onde ela quiser, mas se ela quiser ficar fora do movimento feminista merece ser estuprada.

Essa geração é contra a pena de morte, mas a favor do assassinato dos bebês desde que eles ainda estejam no ventre.

Essa foto representa mais um caso de um espermatozoide abusado e opressor que entrou no ventre dela sem seu consentimento.

E o que falar daquelas guerreiras que lutam contra cultura do estupro e a sociedade patriarcal? Não poupam esforços para acabar com as injustiças impostas a elas. Elas não se depilam e postam em suas timelines sobre o estupro que sofrem diariamente ao sair na rua e ter a infelicidade de um macho lhes olhar.

(Não é brincadeira! Isso realmente aconteceu!)

Eles exigem que os vilões fictícios sejam politicamente corretos.

Cartaz do filme X-men: Apocalypse: um dos maiores vilões da franquia X-Men, asfixiando a Mística.

Comentários da geração intelectual:

F***-se essa merda. Há um imenso problema quando as pessoas da 20th Century Fox acham que violência contra mulher é a melhor forma de divulgar um filme.

Com certeza, afinal o que motivou ao grande vilão a estrangular Mística foi o simples fato de ela ser mulher. Machistas não passarão!

Os refrigerantes também devem ser politicamente corretos.

Quem não lembra desses limões muito engraçados da Pepsi?

Eles voltaram causando muita polêmica no meio da geração mimimi. O nome do vídeo já diz tudo: o mundo está chato. Eles falam de uma forma bem cômica como o mundo está sensível e que não se pode fazer nenhum tipo de piada, pois pode dar processo

Os ativistas da geração mimimi não perderam tempo para lutar por menos desigualdade e mais respeito, imediatamente vestiram seus pijamas, correram para seus computadores e smartphones e dispararam em suas redes sociais:

O que a maioria da população não entende é que aquela piadinha prejudica boa parte daqueles que se enquadra em uma “minoria”. Que aquilo que é visto como uma piada é na verdade uma exclusão e que quem decide se as palavras são uma brincadeira ou não é quem faz parte da minoria e não o piadista… mimimi

Os contos de fadas também são criticados.

Nesse planeta existe a história de uma menina chamada Branca de Neve e outra chamada Bela Adormecida. Ambas conheceram um príncipe e se apaixonaram profundamente, mas foram enfeitiçadas e caíram num sono profundo e eterno. O feitiço só poderia ser quebrado com um beijo de amor verdadeiro. Então o príncipe a encontra, lhe dá um beijo de amor apaixonado e o feitiço é quebrado! Eles vão para o reino e vivem felizes para sempre!

Para uma pessoa de intelecto pobre, essa história parecerá normal e até mesmo romântica. Pasmem! A incrível geração mimimi é muito sagaz para cair nessa ladainha!

Esse cartaz foi uma atividade que uma professora empoderada passou para seus alunos. Para que ensinar português e matemática, não é? 

E avisem aos seus namorados, manas! Nenhum homem pode nos acordar com um beijo machista e opressor, senão a cadeia é certa! Deixe-nos morrer enfeitiçadas em paz.

Reproduzir vídeo

Pensar fora da caixa para essa geração é uma afronta. Você deve concordar com tudo o que seu professor esquerdista e o partido diz, deve apoiar as greves, a ocupação nas escolas. É proibido ler autores que defendam ideias opostas, e fazer perguntas que fujam do padrão.

Não discorde, mas acima de tudo acredite que está pensando independentemente.

E, o mais importante, quando te perguntarem algo que você não saiba responder parta para a agressão, xingue-o, chame-o de fascista, de homofóbico, de racista.

Chame-os de intolerante, mesmo que o intolerante seja você!

OBS.: Qualquer semelhança com a juventude do Planeta Terra é mera coincidência.

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, cliquem no link abaixo e conheçam melhor o nosso projeto de mídia independente de jornalismo e informação.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

Procurem-nos também no Minds, GAB e no Parler!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

E sigam sempre as nossas publicações em nossas redes sociais oficiais!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Jenifer Castilho
Autor(a): Jenifer Castilho

Escritora e pedagoga. Resenhista, blogueira e YouTuber. Analista política, Conservadora Cristã, Anti-feminista e Ativista digital em redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.