fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

Porta-voz da presidência diz que Bolsonaro comenta “em tese” possibilidade de privatizar Petrobras

Existem informações desencontradas sobre o tema, que ainda não tem pauta definida no âmbito de privatizações.

Bolsonaro, em cerimônia no Planalto - REUTERS/Adriano Machado

Brasília (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro comentou “em tese” a possibilidade de avaliar a privatização da Petrobras (SA:PETR4), disse nesta quinta-feira o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros.

A afirmação veio após Bolsonaro comentar à jornalista Natuza Nery, da GloboNews, que teria uma “simpatia inicial” pela ideia de privatizar a Petrobras, durante participação em evento de comemoração pelo Dia do Exército em São Paulo.

Ao ser questionado sobre a fala de Bolsonaro à GloboNews, o porta-voz da Presidência, afirmou em nota:

Sim, ele comentou em tese essa possibilidade. Obviamente movimentos como esse exigem muito diálogo e estudos aprofundados nos mais diversos campos do poder.

A nova postura do presidente, que antes já havia negado expressamente a possibilidade de privatizar a petroleira, vem após o Ministro da Economia, Paulo Guedes, ter afirmado na véspera, também à GloboNews, que Bolsonaro “levantou a sobrancelha” sobre o tema em meio à recente polêmica em torno dos preços do diesel praticados pela companhia, num indicativo de menor resistência à ideia.

Perguntado se o presidente Bolsonaro está mais próximo de concordar com a eventual privatização da Petrobras, Guedes respondeu que não:

Isso seria um salto muito grande.

O ministro admitiu, porém, que o presidente considerou essa possibilidade para uma “estatal em particular”, sem dar detalhes.

As falas de Bolsonaro e Guedes sobre a Petrobras vêm após a estatal ter cancelado na semana passada um reajuste do diesel depois de uma ligação do presidente ao CEO da estatal, em meio a temores de uma nova greve dos caminhoneiros.

O movimento assustou investidores e levou a uma forte queda nas ações da companhia.

Posteriormente, Bolsonaro e representantes do governo e da Petrobras defenderam a independência da petroleira para definir seus preços, e a companhia anunciou na noite de quinta-feira um reajuste de 4,8 por cento no diesel, próximo dos 5,7 por cento do aumento cancelado anteriormente.

Com a elevação no diesel, as ações preferenciais da Petrobras saltaram 3,18 por cento nesta quinta-feira, recuperando quase totalmente as perdas da semana anterior.

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Facebook Gab Gettr Instagram LinkedIn Minds Parler Telegram Tumblr Twitter WhatsApp YouTube

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, cliquem no link abaixo e conheçam melhor o nosso projeto de mídia independente de jornalismo e informação.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

E sigam sempre as nossas publicações em nossas redes sociais oficiais!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação
Roberto Mayrink
Autor(a): Roberto Mayrink

Engenheiro, escritor e pesquisador autodidata. Criador de vários websites. Analista político. Conservador e monarquista. Estudioso de História, Genealogia, Heráldica e outras ciências relacionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.