fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

Brasil oficializa o fechamento de nove de suas dez fronteiras sul-americanas por surto de coronavírus

Especialista diz que medida pode agravar "xenofobia". Espaço aéreo e portos permanecem abertos.

De acordo com conhecidos veículos alarmistas da mídia esquerdista oficial do Brasil, o Brasil é considerado o país da América do Sul com mais casos da Covid-19, e oficializou nesta quinta-feira a decisão de fechar suas fronteiras terrestres com mais oito países sul-americanos. Na quarta-feira, a fronteira com a Venezuela já havia sido bloqueada. O fechamento vale até 31 de março, mas pode ser prorrogado.

A medida, uma tentativa de contenção do coronavírus, ocorre com atraso em relação a vizinhos da região, que no início desta semana já haviam anunciado o impedimento da entrada de estrangeiros em seus territórios por vias terrestres. O espaço aéreo brasileiro e os portos, contudo, seguem abertos. O Brasil hoje corresponde a 46% de todos os casos registrados nos 12 países da América do Sul, conforme dados do Ministério da Saúde: na tarde desta quinta tinha oficialmente 428 dos 912 registros totais da região.

O Governo Jair Bolsonaro passou por uma queda de braço interna para definir como deveria ocorrer esse fechamento e se ele deveria, de fato, ocorrer. Os ministérios da Saúde e da Economia eram contrários, por causa do fator econômico. A Defesa e o Itamaraty, a favor. Pesou o princípio da reciprocidade, já que Colômbia, Peru, Argentina e Paraguai já haviam impedido a entrada de estrangeiros em seus territórios.

Conforme portaria publicada em edição extra do Diário Oficial da União, está proibido o ingresso de pessoas que venham da Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa, Guiana, Paraguai, Peru e Suriname. Ainda há negociação para se fechar a fronteira com o Uruguai. Ontem, já havia sido fechada a fronteira com a Venezuela. A decisão da gestão Jair Bolsonaro se baseou em nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária que concluiu que o fechamento era uma das alternativas para conter a disseminação do vírus.

Só poderá entrar no Brasil quem for brasileiro, nato ou naturalizado; imigrante com prévia autorização de residência definitiva em território brasileiro; profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional, desde que devidamente identificado; e ao funcionário estrangeiro acreditado junto ao Governo brasileiro. Quem descumprir a restrição pode ser preso, deportado e ter rejeitado qualquer pedido de refúgio.

Para o diretor da Especialização em Migração Asilo e Direitos Humanos da Universidade de Lanús, Pablo Ceriani Cernadas, há maneiras mais adequadas de se impedir o acesso de estrangeiros e evitar que se agrave a xenofobia. Ele avalia que o fechamento total de uma fronteira, sem se avaliar outros processos e realidades vinculados ao deslocamento forçado nessas áreas, reforça e amplia o problema.

Ele afirmou:

As pessoas correrão mais riscos para escapar de seus países e alcançar outros, terão mais obstáculos a serem protegidos, as pessoas serão mais invisíveis e, é claro, elas não contribuirão para os objetivos urgentes de prevenção e detecção da propagação da pandemia declarada pela OMS. O que aumentaria os fatores de risco para a transmissão.

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Facebook Gab Gettr Instagram LinkedIn Minds Parler Telegram Tumblr Twitter WhatsApp YouTube

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, escaneiem nosso QR Code abaixo e financiem pelo PIX o nosso projeto de mídia independente de jornalismo conservador e de boa informação cultural.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação
Roberto Mayrink
Autor(a): Roberto Mayrink

Engenheiro, escritor e pesquisador autodidata. Criador de vários websites. Analista político. Conservador e monarquista. Estudioso de História, Genealogia, Heráldica e outras ciências relacionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.