fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

Número de mortes na China pelo novo coronavírus ultrapassa 3 mil

Foram registradas, nas últimas 24 horas, 31 novas mortes.

O balanço de mortos na China, devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19), ultrapassou a barreira das 3 mil pessoas, com 31 novas mortes registradas nas últimas 24 horas, anunciaram as autoridades chinesas.

Desde que foi detectado, no fim do ano passado, no centro da China, o país registrou 3.012 mortes pelo novo coronavírus.

Até a meia-noite de quinta-feira (16h de quarta-feira em Lisboa), foram também confirmadas 139 novas infecções, um pouco mais do que na véspera (119), para um total de 80.409 casos confirmados, segundo a Comissão Nacional de Saúde do país.

Todas as novas mortes foram registradas na província de Hubei, epicentro do surto, e onde foram notificados 134 dos 139 novos casos. Várias cidades da província foram colocadas sob quarentena, em janeiro passado, com entradas e saídas bloqueadas.

Até a data, Hubei registrou 2.902 mortes e 67.466 casos confirmados de infecção, a maioria em Wuhan, capital da província.

A Comissão Nacional de Saúde da China informou ainda que, no mesmo período de 24 horas, 2.189 pessoas receberam alta após superar a doença.

Segundo os dados oficiais, 52.045 pacientes receberam alta desde o início do surto e 669.025 pessoas que tiveram contato próximo com pacientes foram acompanhadas, entre as quais 32.870 permanecem sob observação.

Nas últimas 24 horas surgiram mais 143 novos casos classificados como suspeitos por terem estado em contato com os infectados, ficando o total em 522.

Há 20 casos confirmados, “importados” de fora, sobretudo procedentes da Itália e do Irã, que registraram na última semana um rápido aumento no número de casos.

Uma das prioridades das autoridades chinesas é “proteger-se da importação” de infecções de outros países.

O surto de Covid-19, que pode causar infecções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.200 mortos e infectou mais de 93 mil pessoas em 78 países.

Além dos 3.012 mortos na China Continental, há registro de mortes no Irã, na Itália, Coreia do Sul, no Japão, na França, em Hong Kong, Taiwan, na Austrália, Tailândia, nos Estados Unidos e nas Filipinas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

98f347541f1d1e22915639dae95e8f4623d47b67w-768x510
47005f483c2f09c4f9b0880fd78b280592ed86aaw-768x513
11e3f368399c2674f4251a25b0a893b74ea845e4w-768x513
9da84ecd7641665bb2603ca0ce00bc629448aa17w-768x513
ffcc3e8fd6d0176e1c6780dfb1e3e05c8093c6b7w-768x512
Casos-de-coronavírus-têm-se-espalhado-ao-redor-do-mundo-e1580134627480-768x512
b71c3aa7c2bd22c70c3d3f833bf509adb231e77cw-768x512
b1f12879b535a8ef40eacbcc3061ae7c6a0973eaw-768x512
a86a925c198fdba61334b36c0a0a4b915112feb6w-768x512
84575f95a62a18453a9a605f56d62cfccc4b6f15w-768x512
3387f8d0e5a19fefc9f8b799ab3b05752c11717ew-768x512
840f825c81361db6b0a8a4ba7b627fe5ffd283bcw-768x512
17c2f61d95989ad66ba580f3eb551a579b72a60aw-768x512
10fba27346a1b259cca16d77e5ba84ce7a51b959w-768x512
8c38065b1e4ea5b78122da12c0689135fe11c9few-768x512
8a2d277d9de0ab80072d2dd70cdda4752a062b16w-768x512
Casos-de-coronavírus-na-China-já-são-quase-3-mil-768x511
37a1fcdaca5e8e8e9e87464cb6b9f1feb5f02a77w-768x511
previous arrow
next arrow

Mortes nos EUA e na França ultrapassam as da China

Na França e nos Estados Unidos a quantidade de mortos por causa da Covid-19 ultrapassou, nesta terça-feira (31) o número da China, segundo a universidade americana Johns Hopkins.

A situação atual de óbitos é a seguinte:

  • França: 3.523
  • Estados Unidos: 3.440
  • China: 3.309

Também houve mortes em dois territórios chineses, Hong Kong e Taiwan, onde 4 e 5 pessoas faleceram, respectivamente, desde o início do surto segundo a Johns Hopkins.

Os países onde houveram mais mortes foram a Itália (12.428) e a Espanha (8.269).

A Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, foi iniciada na cidade de Wuhan, que fica na província de Hubei, na China. O país foi o primeiro foco da epidemia, que depois se espalhou pelo mundo e se tornou uma pandemia.

A população de Wuhan, o primeiro epicentro da doença, ficou mais de dois meses em confinamento severo e, recentemente, recebeu autorização para começar a sair.

Com a reabertura gradual de Wuhan, seus habitantes tiveram a primeira oportunidade de enterrar seus mortos e de respirar, após a experiência que a cidade está vivendo.

Nova York

A região dos EUA onde há mais mortes é a cidade de Nova York, a maior do país. Lá, 932 pessoas morreram por causa da Covid-19.

O número de casos nos EUA aumentou em mais de 20.000 confirmados na segunda-feira, sobrecarregando hospitais que estão ficando sem médicos, enfermeiros, equipamentos médicos e utensílios de proteção.

O país pretende construir centenas de hospitais temporários para aliviar a pressão sobre os centros médicos que lidam com o aumento de pacientes com coronavírus.

O Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA, que transformou um centro de convenções de Nova York em um hospital de mil leitos no espaço de uma semana, está procurando hotéis, dormitórios, centros de convenções e amplo espaço aberto para construir até 341 hospitais temporários, disse o chefe da corporação nesta terça-feira.

Número de casos nos dois países

Os EUA também têm um número mais elevado que o da China. Veja quais são os dados da Johns Hopkins:

  • Estados Unidos: 175 mil
  • China: 82 mil

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Facebook GAB Instagram LinkedIn Minds Parler Telegram Tumblr Twitter WhatsApp YouTube

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, cliquem no link abaixo e conheçam melhor o nosso projeto de mídia independente de jornalismo e informação.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

E sigam sempre as nossas publicações em nossas redes sociais oficiais!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação
Roberto Mayrink
Autor(a): Roberto Mayrink

Engenheiro, escritor e pesquisador autodidata. Criador de vários websites. Analista político. Conservador e monarquista. Estudioso de História, Genealogia, Heráldica e outras ciências relacionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.