fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

Ministro apoia redução de tarifa do Mercosul, mas esquerda reunida, emite nota de repúdio

País vizinho conseguiu apoio dos ex-presidentes Lula e FHC para resistir à redução da tarifa comum do bloco defendida pelo ministro de Bolsonaro.

A esquerda brasileira, além de ridícula, é decadente. Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) resolveram “unir forças”. A dupla soltou nota de repúdio contra as medidas de redução de tarifa do Mercosul apoiadas pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes.

A proposta para reduzir a Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul em 20% até o fim de 2021 foi proposta pelo Governo do Uruguai erecebeu prontamente o apoio de Paulo Guedes, e do Ministro das Relações Exteriores, Carlos França, quando foi anunciada em reunião do bloco, no final de abril.

Na ocasião, Guedes comentou que cada país do bloco tem necessidades distintas e defendeu a adoção de diferentes velocidades de redução tarifária, tanto por meio de acordos comerciais como por meio de cortes unilaterais.

Durante a reunião, os representantes do Uruguai solicitaram a redução imediata de 10% na TEC e outro corte de 10% até o fim de 2021. Dessa forma, um produto que paga 10% de Imposto de Importação para entrar nos países do Mercosul passaria a pagar 8%. A proposta teve a oposição da Argentina.

Guedes não só apoiou a ideia do governo uruguaio, como também questionou sobre a possibilidade de que cada país do Mercosul tivesse autonomia para negociar acordos comerciais bilaterais, que poderiam ocorrer com cronogramas distintos, entre os membros do bloco, ou mesmo individualmente.

Todos os países integrantes do Mercosul mostraram boa vontade em celebrar uma flexibilização das regras que atenda aos interesses de todos os membros do bloco, com exceção da Argentina, que vive uma imensa crise econômica e sanitária.

Mesmo diante das explicações de Guedes, inclusive no próprio Congresso Nacional, os ex-presidentes, FHC e o ex-presidiário Lula, apontado pela força-tarefa anticorrupção Lava Jato como o “cabeça” de uma organização criminosa que arrombou os cofres públicos e encaminhou dinheiro do BNDES para realização de obras públicas em ditaduras, foram às redes sociais demonstrar “repúdio” às medidas do ministro.

Já Alberto Fernández, que assumiu a presidência da Argentina, em dezembro de 2019, cogitava retirar o país de uma recessão e inflação recorde que já perdurava dois anos. Mas, a pandemia se alastrou pelo mundo e afetou em cheio a saúde e a economia argentina. Sem muito tato para a administração de crises, o peronista impôs um dos lockdowns mais longos e severos do mundo, o que quebrou muitas empresas do país e elevou, rapidamente, o número de desempregados.

O descontentamento com as medidas tomadas pelo socialista foi tão evidente que, em março deste ano, ao visitar a província de Chubut, no Sul da Argentina, Fernández quase foi linchado por dezenas de manifestantes. Eles avançaram contra a comitiva presidencial, socaram, jogaram pedra, chutaram e quebraram os vidros do carro em que o político estava.

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Facebook GAB Instagram LinkedIn Minds Parler Telegram Tumblr Twitter WhatsApp YouTube

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, escaneiem nosso QR Code abaixo e financiem pelo PIX o nosso projeto de mídia independente de jornalismo conservador e de boa informação cultural.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação
Roberto Mayrink
Autor(a): Roberto Mayrink

Engenheiro, escritor e pesquisador autodidata. Criador de vários websites. Analista político. Conservador e monarquista. Estudioso de História, Genealogia, Heráldica e outras ciências relacionadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.