fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

O significado das palavras foi perdido

O analista político Ítalo Lorenzon, durante o Boletim da Noite de quinta-feira (10), analisou a atual lógica revolucionária vigente, sobretudo na questão do inquérito inconstitucional dos “atos antidemocráticos”. Segundo Lorenzon, o significado das palavras foi perdido e isso gerou graves consequências.

O analista político ao se referir ao inquérito dos “atos antidemocráticos”:

O problema é que nós não vivemos em uma situação de normalidade jurídica, em uma situação de normalidade o inquérito nem começaria, para início de conversa.

Lorenzon apontou:

Usar a linguagem para significar aquilo que é o inverso do que é a realidade é a especialidade dos revolucionários.

Ele ainda pontuou:

Percebemos que o Alexandre de Moraes trabalha com aquilo como se realmente fosse a realidade em si. Quando ele chama aquilo de atos antidemocráticos, ele está dizendo o seguinte: ‘Isto aqui me incomoda’. E, como bom revolucionário que acredita ser a personificação da democracia […], quem está contra ele, na verdade, não é povo, deixa de ser povo. É a lógica invertida do revolucionário.

O analista político ressaltou:

[Agora], é ele quem constitui o povo, ele que dirá quem é o povo, porque, no fundo, é isso que está acontecendo. Existe uma manifestação de pessoas e ele está dizendo: ‘eu tenho direito de pegar esses milhões de pessoas e dizer que eles não são o povo’.

Segundo Ítalo Lorenzon, o ministro Alexandre de Moraes, com suas ações em seu poder constituinte, vem delimitando o que é o povo. Além disso, tais atitudes passam a ser a própria inversão revolucionária da linguagem. 

O analista político ressaltou:

É por isso que eu e o Allan dos Santos falamos muito aqui no Terça Livre que, na base de tudo isso, o problema de aborto, de ideologia de gênero, de política, de voto impresso auditável, do Foro de São Paulo, na base de tudo isso está o problema de linguagem, as palavras deixaram de significar alguma coisa, a relação entre o termo, o conceito e a realidade se perdeu.

Ítalo Lorenzon concluiu:

A relação entre o signo, significado e o significante se perdeu, as pessoas não conseguem mais fazer isso. Elas não conseguem mais olhar para um texto e se perguntar o que ele significa na realidade, ela pode até ter um entendimento gramatical razoável – é raro, mas é possível -, mas ela não consegue pegar aquilo que leu e relacionar com algo da realidade. É por isso que muita gente quando vê isso, ‘atos antidemocráticos’, ela não consegue unir as coisas, não tem como ser antidemocrático, você pode até discordar, mas o ato em si não tem como ser antidemocrático.

Reproduzir vídeo

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Facebook GAB Instagram LinkedIn Minds Parler Telegram Tumblr Twitter WhatsApp YouTube

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, escaneiem nosso QR Code abaixo e financiem pelo PIX o nosso projeto de mídia independente de jornalismo conservador e de boa informação cultural.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação
Roberto Mayrink
Autor(a): Roberto Mayrink

Engenheiro, escritor e pesquisador autodidata. Criador de vários websites. Analista político. Conservador e monarquista. Estudioso de História, Genealogia, Heráldica e outras ciências relacionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.