fbpx

O Arauto Brasileiro

O jornal da família tradicional brasileira

STF cria programa contra ‘fake news’

O Supremo Tribunal Federal (STF) instituiu uma medida de combate à desinformação e ao discurso de ódio contra a Corte. Com nome de Programa de Combate à Desinformação (PCD), a resolução publicada visa “enfrentar os efeitos negativos provocados pela desinformação e pelas narrativas odiosas à imagem e à credibilidade da instituição, de seus membros e do Poder Judiciário, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF)”, informa o site da instituição.

O PCD será acompanhada pelo secretário-geral da presidência do STF, Pedro Felipe de Oliveira Santos, que coordenará a ação em dois eixos: o primeiro com reuniões periódicas para monitoramento dos resultados e aperfeiçoamento de recursos tecnológicos para identificação rápida de práticas de desinformação e discursos de ódio e a aproximação do grupo gestor com instituições públicas e privadas que atuam no combate à desinformação.

No segundo eixo, o programa focará em ações de comunicação que envolverão a capacitação de servidores, funcionários terceirizados, jornalistas profissionais e influenciadores digitais para a identificação de práticas de desinformação e discursos de ódio e as formas de atuação para combatê-las. A parceria prevê acordos de cooperação técnica com órgãos e empresas públicos e privados com atuação no ramo.

O Supremo já realiza, desde o início do ano, a checagem de notícias falsas. A série #VerdadesdoSTF é publicada no Portal do STF e nas redes sociais do Tribunal.

A Agenda 2030 também é contemplada na resolução, de modo que o presidente do STF faz questão de enfatizar o objetivo de desenvolvimento sustentável da iniciativa tocada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

No documento, Luiz Fux firma compromisso de promover instituições fortes, inclusivas e transparentes em todos os níveis, o desenvolvimento de uma sociedade pacífica, baseada no respeito aos direitos humanos e a expansão do acesso efetivo à Justiça.

O analista Lucas Campos afirmou no Boletim da Manhã dessa terça-feira (31) que esse programa pode ser o pior ataque à democracia da história brasileira.

Ele disse:

Isso sem dúvidas é o maior atentado à democracia já visto na história do Brasil, até o próprio AI-5, a era Vargas e o próprio Estado Novo não chegaram nesse ponto, eles não tiveram essa audácia.

Assista aos comentários da notícia:

Reproduzir vídeo

Se gostarem, compartilhem e divulguem nosso jornal, as nossas páginas e/ou perfis nas redes sociais:

Facebook GAB Instagram LinkedIn Minds Parler Telegram Tumblr Twitter WhatsApp YouTube

Para aqueles que quiserem contribuir com o nosso modesto jornal, dispondo de algum capital para financiar-nos, escaneiem nosso QR Code abaixo e financiem pelo PIX o nosso projeto de mídia independente de jornalismo conservador e de boa informação cultural.

Invista já no Arauto Brasileiro e fique sempre bem informado!

E não deixem de divulgar nossas redes sociais a outros amigos leitores e seguidores e para o maior número possível de pessoas, e sobre o nosso jornal online! Se inscrevam em nosso canal no YouTube, cliquem no sininho para continuarem a receber novidades sobre vídeos publicados no canal e curtam os vídeos para aumentar a nossa visibilidade e relevância na internet!

Para aqueles que quiserem realizar denúncias, fazerem reclamações, elogios, sugestões, ou ainda, quaisquer outras solicitações ao nosso jornal, basta clicarem nos links abaixo, que lhes dará acesso aos respectivos formulários, contribuindo para melhorarmos ainda mais o nosso projeto de mídia independente.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação
Roberto Mayrink
Autor(a): Roberto Mayrink

Engenheiro, escritor e pesquisador autodidata. Criador de vários websites. Analista político. Conservador e monarquista. Estudioso de História, Genealogia, Heráldica e outras ciências relacionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.